Posts Tagged "ubuntu"

Colocando o Nemo como o gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu 13.04

De certa forma esta dica é tão simples que chega a ser ridícula. O Nautilus, ainda é o padrão em sistemas Ubuntu, mas aos poucos vem perdendo espaço para o Nemo, que é bem leve e com uma série de add-ons para dropbox, filesystems, etc… Para colocar o gerenciador de arquivos Nemo como o padrão do sistema Linux Ubuntu 13.04:

1 – Abra um terminal (CRTL+ALT+T)

2 – Digite: sudo mv /usr/bin/nautilus /usr/bin/nautilus.bak && sudo ln -s /usr/bin/nemo /usr/bin/nautilus

Pronto.

Desktop Icons desapareceram no Cinnamon Linux

Esses dias usando o Cinnamon 1.6 no Ubuntu 12.04 notei que os ícones na área de trabalho sumiram após uma reinicialização. Notei que isso era um problema que repetia periodicamente. Para resolver este problema tem duas maneiras: Em um terminal digite “gnome-session-properties” e remova a entrada de auto inicialização do Nautilus ou remove na mão mesmo digitando em um terminal “sudo rm /etc/xdg/autostart/nautilus-autostart.desktop

Ubuntu Natty

Quer saber o andamento do lançamento do novo Ubuntu 11.04? Clique aqui.

Lançamento do Ubuntu 10.10 no IFPE

O evento tem o objetivo de promover oportunidades para todos os estudantes e profissionais interessados em Softwares Livre. Pretendemos superar as expectativas e prometemos surpreender os participantes com palestras interativas.

Todos os participantes vão concorrer a prêmios do Ubuntu, vão poder participar da comunidade Aprendaubuntu.com.br e terão descontos em todos os cursos oficiais Ubuntu.

Dia: 25/10/10, segunda, 15h-17h e 19h às 21h. – IFPE Recife (antiga Escola Técnica)

Auditório

15:00-16:10 Novidades do Ubuntu 10.10 Carlo Seixas, Equipe Ubuntu
16:10-17:10 Planejando uma migração para S.L Glauber Alexandre, Equipe Fuctura
19:00-20:00 Migrando a área gráfica: Blender e Gimp Eraldo Martins, Fuctura
20:00-21:00 Linus, Linux, o Pinguim e as comunidades Maurício Jr

Sala 1

19:00-20:00
20:00-21:00 Honeypots: enganando e estudando o inimigo. Gleudson Junior

Java plug-in + Linux

Recebi por e-mail, da lista Dicas-L, uma informação bem legal sobre como usar o Java plug-in no Firefox para acessar sites como o do Banco do Brasil. Porém nunca gostei dessa solução que se baseia em instalar o pacote da Canonical do sun-java. Motivado principalmente por causa que trabalho muito com programação java e essa pacote acaba causando algumas incompatibilidades com o JDK, como o javac e o próprio arquivo java, além de não manter uma atualização de segurança sempre que a Sun lança novas versões.

Se você gosta de trabalhar com Java e detesta o pacote da Canonical sun-java, aqui vai uma dica bem legal para você manter seu ambiente de programação redondinho e ainda o plug-in do java nos navegadores baseado no mozilla.

1º) Apague o pacote gij que é o responsável pela bagunça no Ubuntu. Vá no Synaptic, procure o pacote e mande remover. Caso não consiga apagar, pois ele é necessário para a execução do Open Office, uma outra solução é manter ele e matar os seus links simbólicos. Através do comando:

rm -rf /etc/alternatives/java*

Dessa forma você apaga os links para os executáveis. Também aproveite para apagar qualquer pacote sun-java do sistema operacional.

2º) Baixe o binário do JDK da Sun/Oracle. Lembrando que é o binário e não o rpm que eles também dão a opção de download.

3º) Salve o arquivo em alguma pasta que seja fácil a organização. No geral todos os pacotes de desenvolvimento salvo no diretório /opt, pois dessa forma fica fácil organizar os backups semanais. Execute os seguintes comandos:

cd /opt
chmod +x jdk-6ux-linux-i586.bin
./jdk-6ux-linux-i586.bin

Após a instalação renomeie o diretório do jdk no /opt, dessa forma fica mais fácil futuras atualizações.

mv /opt/jdk1.6.0_xx /opt/jdk

4º) Agora set o JAVA_HOME e coloque os binários no PATH do sistema:

sudo gedit /etc/profile

Inclua no final do arquivo as seguintes linhas

export JAVA_HOME=/opt/jdk
export PATH=$PATH:$JAVA_HOME/bin

Inclua as mesmas linhas acima no arquivo /etc/bash.bashrc

5º) Para colocar o plug-in no Firefox:

cd /usr/lib/mozilla/plugins
sudo ln -s /opt/jdk/jre/lib/i386/libnpjp2.so .

6º) Inicialize o Firefox (ou outro navegador que usa o mozilla) e digite na barra de endereços:

about:plugins

Vai aparecer na lista o pacote do Java.

Agora você pode utilizar sites que utilizam java em suas configurações. Caso a Sun/Oracle libere alguma versão de segurança, basta baixar o arquivo novo do JDK para a pasta /opt, execute o passo 3 acima e pronto, seu pacote java estará atualizado e antes que a Canonical lance uma versão do pacote sun-java novo.

Script para inclusão de Cabeçalho GPL

O script a seguir inclui o cabeçalho GPL v2 em códigos .java. É legal, pois facilita e muito o trabalho do desenvolvedor que está transferindo projetos para o software livre, como é o caso do SIEP Gerencial.

Agradecimento ao aluno Maxwell Queiroz pela ajuda, porém acho que ele deve estudar mais…. 😀

#!/bin/bash
#Autor Anderson Moreira
#Autor Maxwell Queiroz

#Funcao que insere os termos de GNU no arquivo.
function insereGNU() {
sed  '1i\/*
1i\Copyright (C) 2010 - Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica
1i\Author: '"$2"' - siep@renapi.org
1i\
1i\This program is free software: you can redistribute it and/or modify
1i\it under the terms of the GNU General Public License as published by
1i\the Free Software Foundation, either version 3 of the License, or
1i\(at your option) any later version.
1i\
1i\This program is distributed in the hope that it will be useful,
1i\but WITHOUT ANY WARRANTY; without even the implied warranty of
1i\MERCHANTABILITY or FITNESS FOR A PARTICULAR PURPOSE.  See the
1i\GNU General Public License for more details.
1i\
1i\You should have received a copy of the GNU General Public License
1i\along with this program.  If not, see <http://www.gnu.org/licenses/>.
1i\
1i\*/' $1 > $1.tmp
}

#Funcao que gera a lista de arquivos a serem modificados.
function geraLista() {

IFStmp=$IFS
IFS=":"

if [ -w `pwd` ]
then
find `pwd` -type f -iname '*.java' > arqLista.txt.tmp
sed '/arqLista.txt/d
/arqErro.txt/d
/convGNU.sh/d' arqLista.txt.tmp > arqLista.txt
rm arqLista.txt.tmp
else
echo "-----------------------------------------------------------------------"
echo "                              ERRO!                                    "
echo "A lista de arquivos não pode ser gerada no diretorio atual, verifique  "
echo "os privilegios de escrita.                                             "
echo "-----------------------------------------------------------------------"
exit
fi

IFS=$IFStmp

}

#Funcao que testa a escrita em um determinado arquivo.
testaEscrita() {
if [ ! -w $1 ]
then
if [ ! -e arqErro.txt ]
then
echo "-----------------------------------------------------------------------" > arqErro.txt
echo "Erro de acesso em alguns arquivos!                     " >> arqErro.txt
echo "Verifique suas permissoes de acesso/escrita nos arquivos abaixo.     " >> arqErro.txt
echo "-----------------------------------------------------------------------" >> arqErro.txt
echo "$1"                                          >> arqErro.txt
else
echo "$1"                                          >> arqErro.txt
fi

flagErro=1
flagArq=1
flagErroTest=1

fi
}

#Funcao que testa se ja foi inserido os termos GNU no arquivo.
testaGNU() {
tGNU=`grep "GNU General Public License"  $1 | wc -l`
if [ $tGNU -ge 1 ]
then
flagArq=1
fi
}

#Funcao que limpa logs.
limpaLogs() {
if [ -e arqLista.txt ]
then
rm -f arqLista.txt
fi

if [ -e arqErro.txt ]
then
rm -f arqErro.txt
fi
}

############################### < Início do corpo do script. > ###############################

#Chamada da funcao que limpa possiveis logs existentes.
limpaLogs

#Chamada da funcao que gera a lista de arquivos.
geraLista

echo "-----------------------------------------------------------------------"
echo "                             ATENCAO!!!                                "
echo "Este script insere um cabecalho com os termos GNU em TODOS os arquivos "
echo "\".JAVA\" deste diretorio \"`pwd`\" e seus sub-diretorios.         "
echo "-----------------------------------------------------------------------"

#Leitura dos dados do autor.
read -p "Digite o nome do Instituto: " nome
#read -p "Digite seu e-mail: " email

#Estrutura de repeticao que incrementa o termo da GNU nos arquivos.
IFStmp=$IFS
IFS=$( echo -en "\n\b" )
flagErroTest=0

for k in `cat arqLista.txt`
do
flagArq=0
flagErro=0
testaEscrita "$k"
testaGNU "$k"
if [ $flagArq == 1 ]
then
continue
else
#     insereGNU "$k" "$nome" "$email"
insereGNU "$k" "$nome"
rm $k
mv $k.tmp $k
fi
done

IFS=$IFStmp

#Condicional que avisa ao usuario se houve algum erro.
if [ $flagErroTest == 1 ]
then
echo "-----------------------------------------------------------------------"
echo "Feito! Entretanto, houve um ou mais erros de acesso em seus arquivos.  "
echo "Verifique o arquivo \"arqErro.txt\" no diretorio atual.                "
echo "-----------------------------------------------------------------------"
fi

echo "Feito!"
sleep 3

############################### Fim do corpo do script  ##################################

Nova interface para netbooks do Ubuntu

Mark Shuttleworth, fundador do Ubuntu, durante seu keynote no Ubuntu Developer Summit, que aconteceu na Bélgica, apresentou uma nova interface do Ubuntu. De nome Unity, a novidade foi desenhada para usar o espaço da tela de forma mais eficiente e consumir menos recursos do que um ambiente convencional de desktop. Segundo Mark, a “inovação” irá alcançar nichos de mercado que o Ubuntu desktop não alcança.

Coloquei uma marca na palavra inovação pois a tela do Unity me lembrou muito o WindowMaker, interface gráfica que usei bastante durante os anos de 1999 a 2003. Creio que isso é apenas uma roupagem nova para o WindowMaker. Aliás essa interface foi criada por Alfredo Kojima. Para mim WindowMaker é o mais criativo gerenciador de janelas. Porém já era…

Colocando o ícone do som no Ubuntu 10.04

Muitos alunos, incluindo eu, notamos que ao fazer a atualização do Ubuntu 9.10 para o 10.04 (Lucid) vimos que o ícone do som na barra de tarefas sumiu. De acordo com o site Neowin.net o Lucid tem um novo ícone de som.

Figura 1: Novo ícone de som do Ubuntu 10.04 (Fonte: www.neowin.net)

Mas ainda não o vi…. será que reinstalando o SO todo novamente ele aparece? Enquanto não faço isso aí vai uma dica para colocar um ícone na barra de tarefas! Agradeço a ajuda de meu aluno Edigilson Bento.

1º) Abra um terminal e digite:

gnome-volume-control-applet &

Vai aparecer o ícone do som na barra de tarefas conforme a figura a seguir:

Figura 2: Ícone clássico de som do Gnome

2º) Caso o comando acima não funcione, verifique se o pacote gnome-media está instalado, caso não esteja apt-get install nele!

3º) Caso queira que o ícone de som apareça toda vez que iniciar o Ubuntu, digite em um terminal:

gnome-session-properties

Esse comando vai executar o configurador de inicialização de programas:

Figura 3: Inicializador de Aplicações do Ubuntu

Depois disso clique no botão Add e digite as seguintes informações:

Name: Applet de Som

Command: gnome-volume-control-applet

Commento: Volume Control Icon

Figura 4: Inclusão do volume applet na inicialização automática

Após isso toda vez que você inicializar o SO o ícone do som irá aparecer na barra.

Ubuntu 10.04 is here! (ou lá, pois o servidor ainda usa o 9.10!)

O Ubuntu 10.04 foi lançado oficialmente hoje (29/04/2010).

Mais informações em: http://www.ubuntu.com/

Algumas observações:

1ª) Gnome versão 2.30. Porém algumas das implementações, como botões de controle (minimizar, maximizar e fechar) estão do lado esquerdo devem confundir os usuários mais arcaicos. Eu particularmente gostei, mas quem não quer usar os botões do lado esquerdo digitem esses comandos abaixo para voltar a “winnormalidade”:

gconftool-2 --type string --set "/apps/metacity/general/button_layout" "menu:minimize,maximize,close"

Esse novo tema Radiance que é o oficial achei bem melhor que o laranjão antigo, porém ainda prefiro usar o bom e velho clearlooks

2ª) Linux Kernel versão 2.6.32-21.32, que na verdade é o kernel 2.6.32.11 oficial. Ainda estou sentindo falta do suporte ao sistema FUSE nativo.

3ª) Remoção do HAL (Hardware Abstraction Layer) do processo de boot e inclusão das funcionalidades para o udev. Muita gente está confundindo dizendo que o HAL foi removido do Linux, porém manda procurar o pacote do HAL… (pois é…. ele ainda continua lá!)

4ª) Suporte a dispositivos gráficos proprietários na nVidia: nvidia-current (190.53), nvidia-173 e nvidia-96. Na opção Hardware Drivers, não irá mais aparecer a opção do usuário instalar os dispositivos da nVidia, já que agora são instalados no processo de instalação do SO.

No mais é só utilizar, e esperar 28 de outubro de 2010, pelo Maverik Meerkat – quer ver como está o processo de desenvolvimento? Clica aqui.